Origem das Marcas: Pepsi (pepsico)

Oii amores, mas um artigo sobre as origens das marcas, hoje nossa marca é a pepsi.

Atire a primeira pedra quem nunca tomou pepsi, muita gente né… Hoje a marca não é tão forte como já foi, mas mesmo assim é um império, com valor de mercado com mais de 450 Bilhões de dólar. Vamos ver quando essa marca tinha como objetivo cura as pessoas, e passou a ser uma marca de bebidas.

Pepsi: A origem da marca

 O criador da bebida, Caleb Bradham, foi pouco original no início: batizou sua invenção de Bebida do Brad. Depois, achou o “Pepsi” . E a bebida tinha intenções curativas em sua origem, no fim do século XIX.

     A Pepsico foi formada em 1965, a partir da fusão da fabricante de salgadinhos Frito Lay com a empresa de bebidas Pepsi-Cola. Donald Kendall, um dos idealizadores do negócio que deu origem à Pepsico, foi o primeiro executivo a presidir a empresa depois de sua formação.
   

 Em outubro de 2006 a indiana Indra Nooyi se tornou a primeira mulher e – mais importante – a primeira executiva nascida fora dos Estados Unidos a comandar a empresa, então já uma potência, e cujos números de 2007 mostravam vendas de 39 bilhões de dólares, operação em 200 países e valor de mercado de mais de 100 bilhões de dólares.

Foi em meados da década de 1990 (1994) que Indra foi contratada com o compromisso de acelerar a expansão global da Pepsico, com o cargo de vice-presidente de planejamento estratégico. O então presidente da companhia, Roger Enrico, contratou-a como diretora da área de fusões e aquisições. Enrico pediu a Indra que elaborasse a estratégia do que deveria ser a corporação no século XXI.
     

Saber mais:

A Origem do Nescafé

 

Pepsi: Dominando o mercado mundial

 

Naquela fase, a Pepsico perdia de maneira retumbante a corrida global para a Coca-Cola. Enquanto cerca de 30% das vendas da Pepsi vinham de outros países, mais de 70% das vendas da concorrente vinham de fora dos Estados Unidos. Em razão da crescente rejeição a refrigerantes e frituras no mundo todo, a primeira decisão de Indra foi mudar o portfólio da companhia. Em 1997, foi a responsável pela consolidação das redes Pizza Hut, Taco Bell e KFC, até então deficitárias, em uma única empresa chamada Tricon (rebatizada cinco anos mais tarde como Yum) que logo em seguida foi cindida da Pepsico.

Na sequência (em 2000), comprou por 14 bilhões de dólares a Quaker (dona das marcas Toddy e Gatorade) e por 3,3 bilhões a fabricante de sucos Tropicana. Alguns anos depois, a Pepsico passou a adquirir empresas fora dos Estados Unidos. Só em 2007, investiu 1,7 bilhão de dólares em aquisições. Boa parte deste volume foi dedicada a mercados emergentes, como a compra da maior fábrica de sucos da Rússia, a Lebedyansky, e a fabricante de salgadinhos brasileira Lucky, dona das marcas Torcida e Fofura.

Em 2016, adquiriu a fabricante de bebidas fermentadas Kevita.

 

Pepsi no Brasil 

  

No Brasil, a Pepsico produz biscoitos, bolachas e assemelhados com a marca Mabel, desde 10 de novembro de 2011 através da subsidiária Cipa Industrial de Produtos Alimentares Ltda (fundada em 1986, com sede em Aparecida de Goiânia (GO) e com outras três fábricas em Sergipe, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul). A Pepsico pagou R$ 800 milhões pela Mabel.
   

 Os jardins da sede mundial da Pepsico, na cidadezinha de Purchase, a cerca de 30 minutos de Manhattan (Nova York) formam uma espécie de museu a céu aberto, com 45 esculturas de artistas como o francês Auguste Rodin e o espanhol Joan Miró. Apesar da vista privilegiada que tem de sua sala, a executiva-chefe e presidente do conselho de administração da Pepsico, Indra Nooyi, cada vez mais tem voltado seus olhos para longe dali – em direção a países emergentes.

          Em 3 de outubro de 2018, Indra Nooyi, com 24 anos na companhia, sendo 12 anos no comando, deixa a presidência da Pepsico, então com faturamento anual de US$ 63,5 bilhões, e permanecerá no Conselho de Administração até janeiro de 2019. Em seu lugar entra o executivo Ramon Laguarta, funcionário da empresa há 22 anos e presidente executivo desde setembro e 2017, cargo que fica abaixo ao de diretor-presidente.

Deixe uma resposta