Como sair das DÍVIDAS!

Olá, caros leitores! Não tem nada pior do que você ter uma dívida e não conseguir pagar ela, né? Mais do que ter a conta no vermelho ou até o nome sujo, muitas vezes, a dívida atrapalha o nosso desempenho, a nossa rotina.

A gente acaba descontando isso tudo nas pessoas próximas a nós, na nossa família, a gente deixa isso aqui comprometer o nosso resultado. Passamos o dia estressado e a dívida acaba sendo muito mais do que aquele saldo vermelho.

Agora a grande questão é: Como fazer para sair das dívidas?

Vou te ajudar com 5  passo a passo, que você tem que seguir para dar a volta por cima! Aconselho que você leia esse artigo até o final e que conheça o passo a passo para você seguir, verdadeiramente, o caminho correto na sua vida. Então, vamos lá.

 

01 VOCÊ VAI TER QUE ENTENDER QUE SACRIFÍCIOS SERÃO NECESSÁRIOS PARA SAIR DAS DÍVIDAS.

Então esse primeiro passo é um passo muito mais mental do que um passo técnico, digamos assim, tá? Então você vai ter que entender que sacrifícios vão ser feitos e que você vai ter que trocar, às vezes, um conforto no presente por um conforto no futuro.

Se você conhece alguém que tem uma dívida de 500 reais, não tem porquê essa pessoa, que deve dinheiro, ir no shopping comprar um tênis, que custa 200 reais.

Não tem logica né? Vai ter que realizar sacrifícios. Então, por exemplo: você tá lá no ônibus ou no transporte. Não tem porquê você ficar  ouvindo a sua música se você poderia ouvir um audiobokk que iria contribuir muito mais pra você, em termos de aprendizado.

Você poderia monetizar esse conhecimento depois. Então a gente precisa adiar o conforto presente por um conforto no futuro.

 

2 LEVANTAR AS SUAS DÍVIDAS.

É simples, é básico, mas é extremamente importante. Então já dizia o autor do livro a arte da guerra, Sun Tzu: ” Conheça o inimigo como a si mesmo.”

E porque a gente precisa fazer isso? Por que a gente precisa conhecer a nossa dívida e entender o tamanho e a proporção que ela pode tomar se a gente não quitar ela agora ou se a gente não resolver a situação.

Até porque existe uma diferença enorme entre entender que a gente tem uma dívida e entender o impacto que ela vai causar no longo prazo.

Então como a gente tem a informação do tamanho da dívida e das tazas dela, a gente consegue pensar na trajetória que ela vai tomar e com isso podemos tomar uma decisão mais assertiva.

Até por quê negligenciar o tamanho da nossa dívida e o quanto ela cresce é ter certeza de que resolver esse problema vai demorar cada vez mais. 

 

3 TENHA UMA PLANILHA DE ORÇAMENTO

Você precisa lança ( anotar ) todos os seus gastos, mas principalmente se você estiver nessa situação.

Porquê, veja só: Não adianta a gente ficar imaginando ” ah, eu acho que gasto muito em comida, eu acho que gasto muito em saídas, em roupas, em sei lá o que, em dívidas em taxas”.

Não adianta ficar pensando nisso se, de fato, eu poderia ter exatamente a precisão da origem dos meus gastos e um planilha ( caderno, aplicativo para celular, etc ) é essencial para isso.

Um aplicativo que usa para anotar todos os meus gastos é o Organizze.

 

4 TROCAR A SUA DÍVIDA POR UMA COM JUROS MENORES.

 

E esse passo ele é complementar a todos os outros, porque não adianta só economizar, cortar gastos. Às vezes você tem uma dívida e se você trocasse ela por uma com juros menores, você poderia gerar uma economia muito grande.

Então quer ver ? Eu tô com um exemplo aqui com alguns número para você ter uma noção:

Imagina que você tá devendo 500 reais no crédito rotativo, que é conhecido como cheque especial.

E no mês de maio, por exemplo, a gente tinha uma taxa no crédito rotativo de 12,52% ao mês. Isso significa que em um ano essa dívida que a gente tinha 500 reais, pularia para 2.059,33 reais. Só que em cinco anos a nossa dívida alcançaria, pasmem, 592.588,77 reais. 

Ou seja, 500 reais viraram quase 600 mil reais em cinco anos, Agora vamos supor outro cenário:

Vamos supor que você passou a dever 500 reais no crédito rotativo, cheque especial, SÓ que aí você pegou um consignado pela taxa de 2,53% ao mês, veja que a dívida e a mesma de 500 reais, mas os juros são diferentes.

A sua dívida de 500 reais em um ano, vai se transformar em uma divida de 674,81 reais. E em cinco anos ela vai se tornar uma dívida de 2.238,88 reais.

Você consegue entender isso aqui? Se você fizesse essa troca você poderia economizar muito dinheiro?

Então é muito importante que: Assim que você identificar um problema você corra atrás da solução. A gente não pode procrastinar essa solução. Então, se você vê que deu algum problema você precisa correr pra resolver.

Não vá esperar essa dívida vira uma bola de neve.

 

5 RENEGOCIAÇÃO DA DÍVIDA

Aqui a gente pode ter um problema extremo. Você já realizou todos os passos anteriores, mas você tem uma dívida que não tá conseguindo pagar. Você também não está conseguindo guarda dinheiro, ou seja, está cortando onde dá e ainda está com o nome sujo.

E o tempo potencializa o saldo vermelho, então o que fazer? Vira pro banco ou pra quem você deve e tenta parcelar essa dívida ou tenta pagar com desconto.

Tenta renegociar com ele. Até porquê, veja só: o banco tem interesse em receber esse dinheiro.

Então ele pode te ajudar a negociar de forma que seja favorável para as duas partes quando chega nessa situação.

Se coloca no lugar do banco: Você não quer tomar um prejuízo, por exemplo. Você gostaria de tomar um prejuízo ? Não, né!

 

#DICA BÔNUS – RENDA EXTRA

 

Porquê ás vezes você já fez tudo o que dá para fazer, você já economizou em tudo que dá, cortou tudo dá, mas não ainda não resolve o problema. Então o que você pode fazer? Renda extra.

Eu já fiz um artigo sobre renda extra, clique aqui para lê.

Muito obrigado pela sua leitura!